domingo, 12 de julho de 2009

Ao Sol...

... desse domingo de inverno, depois de quase uma semana de chuva em todas as suas modalidades - garoa, chuva forte, chuvisco, neblina quase chuva... - em coro, os gaúchos entoaram um só mantra de pura alegria: Ele voltou! E as ruas, parques, estradas, praças, jardins, quintais povoaram-se de sorrisos, chimarrão, bom papo, bicicletas, bolas, livros, tricô, bergamotas, numa reverência sincronizada a sua majestade.
Em Ivoti, no Buraco do Diabo, o núcleo de casas enxaimel com sua feira de produtos coloniais, flores e artesanato me acolheu Ao Sol.







O Sol dispensador de vida

Nada em todo o cosmos se compara ao poder transformador do Sol, que nos confere até mesmo a possibilidade de enxergar. Perigoso em toda a sua força (como o deus Zeus, que nenhum mortal podia olhar sem correr o risco de virar cinzas), o Sol é também pura energia de vida.


"Sempre que precisamos imaginar uma fonte infinita de energia, ou qualidades ilimitadas de qualquer espécie, o Sol nos proporciona um símbolo perfeito, fácil de usar na meditação. Por exemplo, podemos nos imaginar como uma fonte infinita de amor, que se irradia para todos, derramando-se sobre a nossa família, os nossos amigos, conhecidos e estranhos da mesma maneira, numa radiância que a tudo envolve. Nenhum outro fenônemo tem essa conotação de abundância infinita e dispensadora de vida. Assim como, em muitas religiões, os mortais não podem olhar diretamente para a divindade, nós também não podemos apreender o poder assombroso do Sol. Contudo, podemos "visualizá-lo" como uma explosão de luz e força, e para isso basta olharmos à nossa volta, à luz do dia, para observar como o Sol espalha os seus benefícios em todas as direções. As nossas próprias energias espirituais e a nossa capacidade de dar não são menos magníficas. " (Do livro Mandalas da Natureza, de Liza Tenzin-Dolma, pela Editora Pensamento)

2 comentários:

susi disse...

Rosana, obrigada pela visita e suas palavras. Eu li seu coment e tentei entrar no seu blog mas este nao era visivel,colei seu nome e pedi socorro ao google e assim vi seu blog onde aparece uma foto diferente da q tava no meu coment, fiquei na duvida e resolvi aguardar.Pois entao temos mesmo algo em comum.., um Vicente a Italia e a Laély que tbém é especial pra mim.
Morar aqui nao foi uma escolha nossa, por conta do trabalho do Vicente viemos pra ca ( ele trabalha numa empresa italiana) mas confesso que adoro estar aqui. A Italia é de fato uma escola a céu aberto.
Mudando de assunto, adorei esse post sobre o sol e agora vou xeretar mais o seu blog.
Ah!! mais uma coisa, meus pais moram em Porto Alegre portanto passei varios anos de minha vida ai tbem pertinho de vc, nao somos gauchos mas tbem por conta de serviço acabamos indo pro sul.
bjs e boa semana..

rosanasperotto disse...

Susi, fiquei muito feliz com nosso encontro. Como ainda estou debutando no universo blogueiro, sempre me surpreendo com essas situações em que parece que "pescamos" alguém pelas afinidades sutis, no nosso caso, até mesmo geográficas. Obrigada por todos os comentários que ganharam um tom ainda mais verdadeiro por saber que conheces meu "habitat". Vou adorar continuar trocando figurinhas, costurando impressões, cozinhando ideias, alinhavando inspirações contigo. Um grande beijo e uma ótima semana pra ti também.