sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Férias (deliciosas) de 24 horas - 2º capítulo

Seguindo pelo Caminhos de Pedra, a Casa do Artesão é parada mais que obrigatória para a alma crafter que nunca tira férias. No chalé guardião da história, os serralheiros dão as boas-vindas movidos pelo vento da serra, em dia de sol e temperatura de verão, presente para as viajantes.
Uma coleção de cactus, por todos os lados, e a romântica roda d´agua convidam a ficar no pátio sem pressa. Só assim para registrar a palheta de cores, formas e sons que passam pela roda e ganham acompanhamento sinfônico dos pássaros silvestres.

Uma placa escrita à mão na entrada de uma casa, mais atrás na estrada, avisa: "Faço ladrilhos hidráulicos". Para! - peço à motorista. Bato palmas, chamo, espero cheia de esperança, mas as janelas e porta continuam fechadas. O artista não está, fazer o quê? Com uma frustraçãozinha estampada no rosto, seguimos. Mas logo em frente, ali na Casa do Artesão, encontro um pouco da obra e da história do mestre do revestimento em algumas poucas peças (bandejas) à venda na loja. A produção é pequena, explica a moça, porque o artista é pedreiro e tem pouco tempo para se dedicar aos ladrilhos. Bom, mas agora já tenho o mapa para um dia matar a curiosidade e ver de perto como se produz essas lindas peças que já foram desprezadas e hoje voltam a cobrir o chão com a beleza de suas cores e geometria.

Madeira recortada como se fosse papel emoldura as aberturas e a beirada dos telhados. (Lembrei da tua casa, Laély!)

E lá dentro, um par de bules esmaltados rouba a cena e me devolve à menina que desde cedo gostou de café, mais ainda na casa da tia, vó por adoção.

No próximo capítulo (amanhã, prometo), Casa Vanni, porque o lugar merece um post exclusivo. Quer uma provinha?

5 comentários:

Fabiano Mayrink disse...

Oi Rosana vim aqui retribuir sua visita, e te falar que tambem gostei do seu blog, as maças e os biscoitos do outro blog me agua na boca ficaram lindos, que gatinha mais fofa em, o fono a lenha me lembrou biscoito de polvinho da roça tem anos que nao como, a cadeira ficou linda, um enorme abraço e tambem sou seu seguidor agora!

Laély disse...

Levou pra casa, a pequena mostra de ladrilhos, né?! Ah, Não?! Não acredito!... E os bulinhos?! Covardia...

rosana sperotto disse...

Oi, Fabiano! Obrigada pela visita e por seguir o AMÉM. É muito legal ter um "menino" por aqui, nesse trânsito em que as "meninas" são maioria. O outro blog está devagar, é resultado de uma parceria com meu sobrinho, de 8 anos. Combinamos de alimentá-lo nos dias que passamos juntos, a cada duas semanas, mas muitas vezes outros interesses nos levam para longe do PC, o que é saudável, não é mesmo? Um abraço bem grande pra ti também!

rosana sperotto disse...

Ai, Laély, sabe que não comprei a bandeja e agora aconteceu o previsível: me chicoteio pela pão-durice! Sempre tenho dificuldade de sair comprando no início de um passeio, com aquela impressão de que posso ver outras coisinhas mais interessantes mais adiante. Mas no caso dos ladrilhos, foi babaquice mesmo. Mas quem sabe é um "belo motivo" pra voltar lá mais cedo...

Susi disse...

Rosana, sou assim tbém, nao gosto de comprar logo no inicio e acabo deixando passar coisas que gostaria.
Volta la!!
bjks