terça-feira, 1 de setembro de 2009

Presente vivo com cor de milagre

(Clica na foto para ver de pertinho)
Na manhã de quase primavera, a cena em um canto do jardim tirou o meu fôlego, arregalou a menina dos olhos, fez uma festa na alma. De todas as metáforas vivas da natureza, nenhuma outra me é tão cristalina em significado quanto a metamorfose mágica da vida das borboletas. Quem me conhece sabe, é amor antigo e duradouro, muito antes das criaturinhas aladas entrarem na moda. Quem me conhece também conhece a coleção de "coisinhas" estampadas ou em forma de borboletas que me rodeia. Quem conhece esse apaixonamento me traz espécies delas encontradas já sem vida de diferentes lugares, transportadas com cuidado em vidrinhos. Quando me entregam, quero voar até seu coração para um beijo de agradecimento. Também recebo notícias frequentes das que vivem longe: - Não imaginas a borboleta que vi lá em ... Lembrei tanto de ti! Presentear essa amiga borboleteira, os amigos também sabem, é barbada: borboletas são sempre muito bem-vindas. E assim, ano a ano a turma cresce, penduradas, adesivadas, pintadas, pelas paredes, móveis, móbiles, almofadas, livros... e mais aquelas que ficam bem juntinho, nos colares, brincos, broches, camisetas, bolsas...
Depois do script primorosamente montado no início do dia, à minha espera a poucos passos da rota, estou certa que Ele também sabe... E vou dormir assim, convencida e exibida com o presente vindo sem data especial, trazendo uma alegria de Natal , como milagre, no primeiro dia de setembro.

O que para a lagarta é o fim do mundo...

o Mestre chama de borboleta.



Talvez essa história de amor com as borboletas tenha se perpetuado aqui, neste bilhetinho, entregue por alguém que na época mal conhecia, num momento difícil da caminhada. Minha linda amiga Marli: o papelzinho está manchado, já foi remendado, mas teu gesto e as palavras continuam novinhos em folha iluminando meu trajeto. Amém!

3 comentários:

Ana Carolina Peixoto disse...

Rosana,

Adorei a visita! Seja bem-vinda! Só de pensar na Codorna Linha Moleque... já engordei uns kilinhos! rs! Eu não tenho muitos pratos de parede. Tenho os da Boa Lembrança e alguns que trouxe da Espanha. A minha mãe pinta e sou cheio de quadros dela na parede! rs! Vc tem algum post com os seus pratos?

rosana sperotto disse...

Oi, Ana, seja bem-vinda aqui também! O paladar é mesmo um link para lembranças, melhor ainda quando são tão boas que ficam registradas também em nossas casas, colorindo as paredes. Já mostraste tua coleção no blog? Adoraria conhecer. Os pratos criados aqui podem ser vistos no marcador "pratos de parede", na listinha "O lugar de cada coisa", à direita. Abraço!

Fabiano Mayrink disse...

tambem tenho uma postagem que fala de borboletas com esta mesma frase, pode dar uma espreitada

http://blogdoluarencantado.blogspot.com/2009/09/o-sonho-de-uma-lagarta.html

abraços!