terça-feira, 1 de junho de 2010

Escrito nas estrelas

"Quando era menina, os melhores dias eram aqueles em que por algum motivo justificável podia faltar à aula e ficar em casa. Era uma casa muito simples, mas simples também eram minhas necessidades: quintal com abacateiro, um pequeno quarto só meu, com cortina no lugar da porta, e uma cozinha com chão de cimento queimado vermelho lustrado com cera. Tive poliomielite quando bebê que deixou sequelas e dificuldades para me locomover. Então, quando a alegria dos vizinhos era brincar na rua ao Sol, a minha explodia em dias de chuva, costurando roupinhas de boneca, brincando de casinha, ajudando a preparar o bolo para o café da tarde, relendo contos de fadas, abrigada e resguardada na minha acolhedora casa. Essa é a matriz da vivência com a minha casa de hoje, um útero onde crio, trabalho, protejo, me realimento de ideias e projetos, celebro a cor nova da parede e as petúnias em flor na janela. Um reduto para fortalecer o que aprovo em mim e trabalhar as dificuldades. Meu espelho em cada canto que adoro dividir com aqueles a quem quero bem. Um espaço sagrado, amém." Hoje sei, porque acredito como nunca nos movimentos invisíveis que guiam nossa trajetória: estava escrito nas estrelas que este texto digitado com uma dose de timidez e outra de entusiasmo no meu debut na vida blogueira, para participar de uma primeira promoção, um atrevimento para quem mal sabia postar um comentário, juntaria dois pontinhos no universo, numa linha reta e certeira.
E como o tema era casa, seguiu ele nos norteando nos nossos espaços virtuais, esboçando e revelando nossa personalidade, como todo ninho faz. Então, depois de nos descobrirmos um capítulo de cada vez, chegou a hora de um passo maior. E
lá fui eu... para um abraço no Espírito Santo. E agora... oba, lá vem ela! E os dias de espera ganham uma alegria com uma ginga incomum, em estilo adolescente que traz até Jorge Ben Jor para perto. Lá vem a conhecer a casa que há um ano lhe apresentei numa singela descrição. E a casa se mexe e se ajeita para recebê-la, num suave mutirão. (Essa rima tá parecendo refrão, mas não é essa a intenção, não...rsrs)
Faxino o quartinho da bagunça com o sobrinho Bruno, meu ajudante mirim ordeiro por natureza, e ele começa a ganhar cara de quarto de hóspede.
Desengaveto e penduro as bandeirinhas budistas há tanto tempo engavetadas, o quadro irmão de um que encontrei na casa dela, os "santinhos" emoldurados...
e a canga que finalmente ganhou o lugar para onde foi destinada na hora da sua compra, há alguns verões.
Mas como tudo tem seu tempo, talvez as deusas indianas esperassem uma outra para dividir as atenções do quarto, que chegou de presente no aniversário saudando o deus que habita em mim e em você.
Na cozinha, salvo e escondo num cantinho da geladeira algumas trufas de manga e maracujá, produção do filho para evento no fim de semana, imaginando que desse gosto ela pode gostar.
E no jardim, posiciono e oriento o povo miúdo, na subida da escada, para recebê-la com música, afinal a moça é violinista.
Os preparativos seguem nessa casa de sincretismo religioso, e sob a benção das cartas do tarô, das preces e mantras budistas que balançam ao vento, do feminino hindu e católico pelas paredes e dos elementais, o ninho vibra renovado à espera da amiga querida que vem de longe, mas que já está aqui, bem perto, já faz tempo.
E para fechar a salada musical, palavras sábias de Martinho da Vila, que me surpreenderam na busca rápida pelo Google:
Deus está em todo lugar. Nas mãos que criam, nas bocas que cantam, nos corpos que dançam, nas relações amorosas, no lazer sadio, no trabalho honesto.
Onde está Deus? - Em todo lugar! Olorum, Jeová, Oxalá, Alah, N`Zambi. . . Jesus!
(Sincretismo Religioso - Martinho da Vila)
Amém!

16 comentários:

Fabiano Mayrink disse...

Lindo post, fiquei a comtemplar sua escrita, que esta visita possa te trazer muito mais alegria!

sua casa me parece ser recheada de sentimentos, significados, amor e coisas gostosas ;) que delicia de trufa o gosto veio a minha boca!

gosto muito de minha casa mais ela nao tem um quintal bonito. Ainda quero um presente desta vida, poder me sentir realizado com uma casa de dois andares bonita como em um conto de fadas onde possa plantar meu jardim, criar minhas galinhas e afins e tambem uma hortinha feliz e ainda estar perto de quem gosto e familia que tambem amo! sonhos! um abraço!

rosana sperotto disse...

Ô, Fabiano, enxerguei tua casa dos sonhos e tenho certeza que ela está a caminho. Nossa casa é simples, mas com muito do que gosto. Não preciso, e nem almejo, muito mais que isso. Abraço!

Fabiano Mayrink disse...

Rosana, uma casa pode ser simples para os outros mais recheada de encantos para nos!

Taia Assunção disse...

Amém, mil vez Amém...coração saltitando de alegria em receber alguém tão especial. Parabéns pela amizade, parabéns pelo Lar, parabéns...Tenho certeza que será um encontro muito gostoso, não poderia ser diferente. Namastê!

rosana sperotto disse...

É pura verdade, Fabiano: um ninho se constroi recolhendo aqui e ali o que nos faz feliz. Beijo

Taia, querida, obrigada por fazer coro no AMÉM a um capítulo tão especial que nos preparamos pra curtir, eu e a Laély. Vê só: a sexta, em diferentes partes do planeta, será de muita adrenalina! (rsrs) Beijos daqui!

Taia Assunção disse...

Adoro essa sincronicidade...vocês felizes daí e nos felizes daqui. Depois sentamos e dividimos umas com as outras as novidades. "Rumbora" curtir...beijocas!

Cecilia Helena disse...

Olá Rosana, que post lindo, que delícia preparar a vinda de uma amiga, que dias gostosos que virão! Tive uma cozinha de cimento "vermelhão" rsrsrs como dizem aqui na minha cidade, ela era pobre muito pobre, mas é dela que me lembro nos pormenores,o fogão antiguinho que tinha umas tampinhas em cada uma das 4 bocas, a mesa em fórmica, o "guarda-comida"(como chamavam os armários), a geladeira Climax bemmmm velhinha que virou armário no quartinho do meu pai quando não tinha mais conserto, a "tramela"da porta verde, a "talha de barro"pra tomar água fresquinha... nossa tempo pra lá de bom... Saboreie essas trufas de maracujá por mim que são minhas preferidas! Também tenho costume de ter escondirijo na geladeira hehehehe essas filhas gulosinhas hehehehe! Bjos

Susi disse...

Rosana,que delicia., fico aqui imaginando os preparativos deste "esperar por ela"e ja aguardando os relatos cheios de poesia.
beijos

rosana sperotto disse...

Cecília, adorei conhecer a casa da tua infância. Descreves tão bem que é fácil ter as imagens. Lembrarei de ti assim que a trufa chegar na boca (rsrs). Beijo, querida

Susi, amorosa, isso tá me parecendo ficção, sabia? Pois não é que nossa amiga estará aqui em 48 horas... ô vida boa, recheada assim de surpresas, né? Beijos e abraços!

Laély disse...

Puxa! Fiquei até emocionada, e com uma pontinha de orgulho, embora imerecido, de ter dado a atenção devida àquelas suas primeiras palavras escritas, que tomaram a forma de uma amizade, cultivada ao longo desses meses e personalizada naquele nosso primeiro encontro, por aqui. Ufa! perdi até o fôlego!
Apaixonei no quadro vintage e no indiano, coloridíssimo! Além dos simpáticos anõezinhos musicais! "...Vai ser uma festa: bolo, gauraná, muito doce..." com direito à viagem de Xuxa!
O mais legal, foi você ter conseguido envolver a família toda nesse mutirão de preparativos: deixou de ser particular e pessoal, o que aumenta mais ainda a minha responsabilidade como sua hóspede...
Um beijo, e: té manhã!

Cecilia e Helena disse...

Ai, que texto mais lindo e emocionante!... tenho certeza de que a Laély vai se sentir em casa... quanta honra!
Mil beijos e até daqui a uns dias... que vcs curtam bastante o passeio a Canela! Guardem energia pra gente conversar bastante! Minhas botas já estão impacientes, querendo sair do armário!
Beijão
Helena

Cris Rosa disse...

Como sempre, expressa suas emoções tão bem em palavras...Adoro ler seus post, eles não são branco e preto, como a página da internet, são coloridos de emoções e imagens que fazem a gente viajar durante a leitura e vemos um filme!
Vc é uma inspiração pra mim! por acaso não tem nenhum livro publicado?
Se não, poderia com maestria!
Bjkas e boa visita pra vc e a Laely!

Fala Mãe! disse...

Ai que delícia, tenho certeza que ela vasi gostar de tudo, não tem nem como, com essa hospedagem tão aconchegante e espirituosa...beijo querida e um lindo reencontro pra vcs.

Veronica Kraemer disse...

Rosana, que post mais lindo, você escreve e eu fico aqui deliciando as palavras e imagens tão belas! Fiquei emocionada, como sempre fico ao passar por aqui, você é uma pessoa iluminada!
Beijosssssssssss e uma linda semana pra ti
Vero

Cacau Gonçalves disse...

Tudo lindo...
Adorei compartilhar seus cantinhos de paz e espiritualidade.
Isso me deu uma boa idéia! :-) Vou fazer um "especial" no Pitacos sobre os meus altares e afins.

beijos geladinhos do Sul... de Minas! :-)

sam samantha disse...

This is my 1st time i visit here. I found numerous fun stuff in your journal, particularly its discussion. From the heaps of comments on your articles, i suppose i'm not the sole one having all the leisure here! continue the great work. I actually have been desiring to write one thing like this on my web site and you've got given American state an inspiration. Sbobet Casino