quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Corujas na cozinha

Já passava bem das 23 horas, ontem, quando depois de preparar alguma coisinha rápida para a janta, a cozinha voltava a me chamar. Lembrei das frutas já quase passadas do ponto e resolvi picá-las, ainda sem saber seu destino. Lembrei também do crumble que a Cynthia mostrou esses tempos no Fala, Mãe!, e do tempo que fazia que esquecera dessa sobremesa tão saborosa e prática. Mas encafifei que queria mesmo era um bolo assando. O filho apreciaria encontrá-lo ainda morninho ao chegar faminto do trabalho na madrugada, uma ironia daquelas quase inadmissíveis: depois de cozinhar no capricho por horas a fio, o chef traça o que estiver na mão quando aporta em casa.

Bolo+frutas+crumble: estava resolvida a charada.
Preparei a massa batendo na batedeira (vantagem de quem mora em casa, sem vizinho perto, e pode fazer barulho à hora que lhe der na telha) 100g de manteiga sem sal com 1 xícara de açúcar até esbranquiçar. Juntei 2 ovos e bati mais. Depois, intercalei 2 xícaras de farinha de trigo peneiradas com 1 colher (sopa) de fermento em pó com 1/3 de xícara de leite e voltei a bater. A massa fica firme. Temperei com raspas de casca de limão e açúcar de baunilha. Coloquei numa fôrma pequena, untada e enfarinhada. Cobri com a salada de frutas (banana, maçã, abacaxi e até mamão).
Improvisei uma porção pequena de crumble: 1 xícara de farinha de trigo, 1/2 xícara de açúcar, 2 colheres (sopa) de manteiga gelada em pedacinhos e canela em pó. Mistura-se com as pontas dos dedos para formar uma farofa. Polvilhei as frutas com uma camada generosa do crumble e foi para o forno, em temperatura alta nos primeiros 15 minutos, e média até terminar de assar. Enquanto o calor tratava de fazer o bolo crescer, e como o verão deu uma trégua nas últimas duas semanas, pude esperar na mesa próxima ao fogão. Busquei o bordado que vem me distraindo e continuei a delimitar os traços da mandala pintada com uma técnica anárquica que assim que estiver pronta mostro. Casa quietinha, perfume do bolo fugindo do forno, meditação ativa proporcionada pela agulha na sua cadência de pontinho em pontinho.


Me olhei de fora e me vi nesse ritual por uma vida toda. Até mesmo quando lá fora os tempos são pesados, como agora, a cozinha é refúgio de uma tranquilidade prazerosa que só os que "surfam nessa praia" podem compreender. Se associada ao outro grande prazer, o fazer nascer uma nova manualidade, a química então funciona em dose dupla. Dei graças ao meu cérebro por ser pouco exigente, por ser capaz de processar meus pequenos prazeres e assim produzir a mágica de espantar os fantasmas pra longe, nem que seja por um intervalo não tão longo. O bolo ainda assava quando resolvi dar uma escapada para a virtualidade, uma espiada pelos posts recentes dos blogs amigos. Pois não é que aqui encontrei uma outra coruja (que faz lindas corujinhas entre tantas belezuras) assando bolo enquanto o povo dorme e refletindo na mesma linha que eu! Não poderia ir dormir sem comentar assim com a Ana (Sinhana):
Essa não valeu, Ana! Tô aqui, meia-noite e meia, com um bolo ainda no forno, matutando sobre essa coisa meio milagreira que a cozinha faz, a de afastar meus fantasmas, quase sentando pra escrever sobre isso, e daí entro na tua cozinha e vejo reflexão tão semelhante. O bolo aqui é de salada de frutas (sobrinhas da geladeira), mas já fui bisbilhotar esse aí no Quitandoca e é o próximo da lista. Beijo, boa noite!
Fui pra cama depois de desenformar a produção noturna triplamente recompensada. O filho gostaria do afago doce e de saber da minha motivação apesar dos pesares. A mandala ganhara mais alguns contornos e já se mostra mais inteira, por tabela, eu também. "Cacei" uma coruja do meu parlamento (coletivo que acabo de aprender pelo sábio Google)! Embora as criaturas olhudas sejam bichos solitários, não estou mais sozinha nos voos à noite pela cozinha, enxotando as nuvens carregadas que teimam em fazer ninho sobre minha cabeça.
E para fechar o turno, antes de trancar as janelas, me dei de presente uma fatia de bolo quentinho e um copo de suco de uva para brindar o melhor que esses caminhos virtuais nos trazem: o encontro com nosso bando.
Que outros cheguem, que as afinidades nos fortaleçam mais e mais. Amém!

29 comentários:

Regina disse...

Oi Rosana, você já deve estar dormindo agora. Estamos com 3 horas de diferença uma da outra.
Que ótima maneira de passar e terminar a noite.
Lendo o seu texto me senti lá com você, com direito a cheirinho de bolo também.
Sonhe com os anjos.

Ana Matusita disse...

É, dona coruja, tem dias em que a gente se sente meio espremida pelo peso do mundo, né?
Ainda bem que a casa, a cozinha e a família nos acolhem.
Bj,
Ana

lu pietra disse...

Oi...Ro...

Como sempre....surpreendendo a todos...com suas palavras.... to aqui...sentindo o aroma do bolo...e Lourenço que ta meio enfermo...pedindo...faz para mim...faz para mim.....
Eu adoro fazer minhas artes a noite....e na cozinha...acho que me reporto.....aos meus ancestrais...que amavam....esse espaço...muitas historias....ouvi...nas cozinhas de minha infancia....

beijos...

Namaste.

Cacau Gonçalves disse...

Amém, Rosana querida!

Quase que fiz parceria com vcs tb, mas seria mais no meio da madrugada... Acordei de um daqueles sonhos que deixam o coração apertadinho e fiquei um bom tempo sem saber o que fazer, mas o silêncio e a escuridão da madrugada me aconselharam a ficar meditando quietinha na cama mesmo.

Cozinhar é uma terapia!

beijo!

Isabel Santos disse...

Sabe, Rosana, tenho acompanhado seu blog, vez ou outra. Descobri-o no "Cacareco Chique", que também olho sempre que posso. Gosto das mesmas coisas que você. Embora, hoje, viva realidade bem diferente. Mas ainda serei exatamente como você. É só crescer mais um pouco. Beijocas.
Isabel, de Tubarão/SC

c r i s disse...

Oi Rosana, obrigada pela dica lá no post, o pessoal ficou agitado!! Até senti o cheirinho do bolo e os pontinhos dessa mandala, ai que curiosa!! Que bom que os fantasmas se dispedem antes de chegar à cozinha...por aqui ainda ficam vezes sim, vezes não!! Ás vezes só vão mesmo, quando a criançada generosa me enche de 'abraços de energia'...Ahhhhh!! Ganhei o dia!! Bjo grande, querida!!

Anita disse...

Rosana, embora não fique surfando mto nessa praia culinária,tbem sou do bando das corujinhas e é justamente no silêncio da madrugada que a inspiração aflora e muitas vezes meu coração de mãe aflita, se aquieta enquanto rola alguma invencionice. Agora, que o cheirinho do bolo é tentador... ah isso é, pude sentir daqui, bjs e bom fim de semana.

Léia Cook disse...

Na maquina de costura só faço o basico. Mas vc na cozinha é ferinha! Bjsss

Vem da Terra disse...

Rosana,fico feliz que tenha apreiado o trabalho da Lidia Luz, também achei maravilhoso, por isso partilhei. Essa semana vou postar essa sua receita (com os devidos créditos, é óbvio) com esse seu texto maravilhoso, cheio da cumplicidade implícita que todas as mulheres tem.
Beijo!
Marilsa

Vem da Terra disse...

Desculpe a falha, "apreciado" e não "apreiado".
Beijo!
Marilsa

cristina.pacheco13 disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tina disse...

Não é fácil manter os fantasmas longe quando estamos apreensivas mas o importante é isso mesmo... Manter-se forte e ocupar a mente com coisas boas, produtivas. O Vicente deve ter caido de boca em cima de bolo lindo...rsrsrs... Bjs

BRIGADEIRO ONLINE disse...

Passei para conhecer o seu cantinho e simplesmente ADOREI!
Já estou seguindo!

No meu Blog tem um Sorteio para o Dia das MULHERES, se você quiser participar basta seguir os Blogs http//brigadeironline.blogspot.com
http://cabelolisoptbrasil.blogspot.com

Participe
e Boa Sorte!
Bjokas

Patricia Daltro disse...

Nossa, não sei o que gostei mais, desse bolo que deve ter ficado tudo de bom, ou dessa forma dessa reflexão enquanto o bolo cozinhava...
Adorei a receita e sua escrita. Parabéns!

casa decorada disse...

Rosana, que fofo seu blog! Parabéns!
Nossa preciso voltar com muito tempo para curtir tanta criatividade....passe lá em Casa para tomar um café!
Abraço
Valeria

calma que estou com pressa disse...

oi Rosana
também faço parte deste parlamento- só matutando só que sem esta bela cuca e este belo bordado-
e esta coruja na cozinha seria uma companhia linda-
lindo teu post - completisimo
bj
lu

Véia da Teia disse...

depois de servir a torta morna de maça que acabou de sair do forno,e apagar a luz da cozinha, sento no meu canto pra escolher os fios e as cores de uma nova mandala para as almofadas. E pensando em mandalas lembrei de ti, e que bom, passei por aqui e li docemente suas palavras.

pra lembrar jose saramago

"Se tens um coração de ferro, bom proveito. O meu, fizeram-no de carne,e sangra todo dia."

abraço

Taia Assunção disse...

Que lindo Rosana, filhote deve ter amado e não há como dissociar você da coruja...rsrsrsrs. Somos todas coruja-mãe...ainda bem. Quanto às nuvens, mandemos elas para o raio que a partam...beijocas!

Carina disse...

E é por tudo isso que eu te adoooooro!!!
Beijo apertado na bochecha, minha querida amiga!

Jud disse...

Nossa Rosana, você escreve muito bem, adorei o texto super inspirado e que bolo, hem???
Deu água na boca, juro!
Acho que o nosso problema é a tal da ansiedade criativa mesmo, estamos juntas nessa!
Beijos,
jud-artes.

c r i s disse...

Oi Ro, passando prá te desejar um bom fim de semana! Tá tudo bem por aí? Bjo grande, querida!!

Adriana disse...

OI, ROSANA!!! Adoro ler seus textos!!!
Cozinhar, blogar, e os fantasmas vão pro ar!... ADORO tudo isso!!!

Bjinhos!!! Que bolo bom!!!

mundodri

Antonia Ivani disse...

Oi Rosana, amei essa sua postagem. Foi de uma sinceridade, de muita emoção, incrível.
anotei a receita porque vou fazer. Sou uma ave noturna, durmo pouco, durmo mal, ando pela casa feito alma penada.
adoro cozinhar e estou pensando em ir pra cozinha quando o sono teimar em não vir.
Fica em paz querida, uma alma como a sua precisa de açúcar, e de dar açúcar.
Seu anjo da guarda deve ser criança. Qualquer dia vou fazer uma postagem sobre isso.
beijo

Maria Amélia disse...

Ai que coisa mais gostosa...aqui começou a chover agora e desconfio que uma sobremesa dessas cairia muito bem. gd beijo. mamélia

msgteresa disse...

Oi,querida Rosana!
Que maravilha este teu post recheado de delícias noturnas!
Sabe que também faço essas coisas,de vez em quando? Adoro cozinhar com a noite já adiantada e fazer aquelas receitinhas especiais, para embalar com delicadeza os nossos sonhos...Afinal, a terapêutica arte de cozinhar é que nos leva sempre ao doce sabor da vida!
Desculpe o meu sumiço dessa semana... Tivemos dias difíceis por aqui. Mas a vida é assim mesmo,um caminho repleto de curvas , algumas pedras e espinhos... Fazer o que,né?
O melhor de tudo é seguir os conselhos da nossa inesquecível e sábia poeta Cora Coralina ":
" Não te deixes destruir...
Ajuntando novas pedras
e construindo novos poemas.
Recria tua vida sempre,sempre.
Remove pedras e planta roseiras
e faz doces. Recomeça..."

Que os nossos bolos e doces noturnos sejam sempre sementes de esperança nos nossos corações...
Beijo doces pra ti,querida!
Teresa

casa decorada disse...

Oi vizinha, domingo é dia de visitar os vizinhos...e eu vim te desejar uma boa
semana.
Se passar lá por perto de CASA entra para um café rapidinho.
Bj

Ivani disse...

Oi Rosana, o que anda fazendo?
passei por aqui e notei que não postou nadinha....
estou com saudade.
espero que esteja tudo bem. beijo

Laély disse...

Fiquei aqui, saboreando suas palavras, sua presença longínqua, o aroma do bolo no forno e o silêncio da noite: deu saudade...
Estamos sincronizadas em assuntos de coruja.
Beijo!

Fabiano Mayrink disse...

Ai Rosana este bolo remexeu meu estomago rs, ainda estou de jejum