terça-feira, 3 de setembro de 2013

Uma festa handmade (3)

Com quantas flores se enfeita uma festa com ares campestres?
Bem, considerando que as duas "decoradoras" amam! flor, e também têm a mesma preferência por arranjos singelos, dez buquês direto de uma fonte rica, um produtor agrícola de Morro Reuter, estavam de bom tamanho. Elas já começaram a fazer bonito no porta-malas e as frésias trataram de perfumar o carro com um dos cheiros que mais gosto, carona rápida para jardins do passado e lembranças felizes.

Os caixotes por si só já enchiam os olhos, dava até dó desmontá-los. 
Uma mistura de flores antigas, muitas que dificilmente se encontra: orquídeas, bocas-de-leão, sempre-vivas, gérberas miúdas, narcisos, margaridinhas, palminhas roxas, as cheirosas frésias (aqui chamamos de frísias)... Para quem é da região, fica a dica. As tendinhas à beira da BR 116 abrem aos sábados e domingos e vendem também frutas, legumes, verduras, ovos caipiras, tudo fresquinho e a preços imbatíveis (as flores, para terem uma ideia, custam de 3 a 4 reais o buquê).
Tirei do baú xícaras e taças e montamos os arranjinhos, uma delicadeza que à luz do fim de tarde nos encantou ainda mais.
As xícaras azuis ganharam destaque na mesa de doces.
Com alturas diferentes, flores e luminárias casaram com harmonia nas mesas. Viram o detalhe "meigo" da lista de convidados fixada com fitinhas na beirada do tampo?
As frésias também brilharam no cantinho das fotos.
Para os arranjos maiores da mesa de doces, rosas em dois tons rosados e brancas, em taças gigantes.
Um truque descoberto na hora de montagem foi usar arbusto (roubado de um canteiro... rs) como base para ajeitar as flores.
E na mesa do couvert, uma outra versão com as flores do campo e as rosas.
Brincar de florista foi uma delícia à parte na empreitada festeira.
Que nossos velhos dons floresçam renovados a cada desafio. Amém.
E para fechar a festa, no próximo post, os doces!
Para acompanhar os capítulos, aqui e aqui.

4 comentários:

Beth disse...

Senti o aroma das frésias aqui.
Certamente eu sentiria pena de desmanchar os arranjos nos caixotes também, mas eles devem ter cedido as flores com amor pois elas permaneceram lindas como recém colhidas.
As luzes e as cores ficaram maravilhosas e agora, suspense para os "sabores"!

heloisa de mesquita inoue disse...

Muito lindo este seu post! Uma boa semana! beijos!

Adriana disse...

Amei este capítulo da festa!!! Que perfume de flores!!! Ficaram lindas espalhadas cuidadosamente em cada canto!
abraçosssss

Rosana Remor disse...

Querida, vc escreve com poesia e tudo que faz fica divino!Amém.bjs.