sábado, 6 de março de 2010

Presentes dos Reis Magos em fevereiro (capítulo 3)

Na véspera da despedida de Praia Grande, o roteiro das turistas no Espírito Santo guardava outras surpresas conduzidas por gentilezas de capixabas que deixaram sua boa-vontade, que vale ouro, carimbada em nosso coração perfumada de incenso e mirra. Chegamos ao alto do morro que abriga a Igreja dos Reis Magos, em Nova Almeida, graças à mão estendida em forma de quatro rodas de nosso anfitrião hoteleiro, um gesto sem preço que nenhum cartão de crédito pensaria em usar na sua publicidade. O Sol já se preparava para dormir atrás das montanhas, e nossa perspectiva era de encontrar o templo fechado. Mas fomos salvas pelo horário estendido do feriado de carnaval, outra bênção que nos fez rir à toa e acreditar que o crédito de tanta sintonia deveria ser mesmo dos Magos que habitam a atmosfera do lugar (histórico).
Do mirante, o mar exibe sua imensidão em comunhão com a imensidão do céu, e nessa palheta de azuis prateados, impossível não reconhecer o sagrado...

que continua banhando o olhar à esquerda pelo rio que também leva o nome dos Magos...

e funde-se ao mar bem à nossa frente (ops, às nossas costas, só no momento do clic).

O passeio ao segundo ponto turístico mais visitado no ES (o primeiro, Convento da Penha, coincidentemente foi a nossa primeira visita no estado), deu o que falar, pensar, meditar... Assim como a mandala esculpida em uma das portas da igreja, viajar exercita também a capacidade de focalizar no nosso centro, e a permitir que o imprevisível circule livre em volta. Graças a Deus, e aos gentis anfitriãos, como presente maior, giramos em harmonia com tudo e todos que brincaram de cirandar com essas viajantes.

E como a roda continuou girando, vem aí o episódio tão esperado: Eu estive lá, na cidade da Lá, na casa da Lá, na sala da Lá!

7 comentários:

Laély disse...

Ai, meu Deus!
E pensar que virei atração e ponto turístico! (rsrs) Mas não dá pra competir em beleza!...
Pena que só depois descobri uma dica que lhes faltou. Ao pé da igreja, há um lugar tradicionalíssimo, onde se fazem uns quindins especiais. Fica para a próxima...
Que lindas fotos, Rosana! Que palavras tão lindas!
É como se estivesse lá, também!
O azul do céu, imiscuindo-se ao azul do mar...isso é que não tem preço!
Já linkei lá, ao meu post.
Que visitas especiais, foram essas!
Ainda hoje, estava recebendo as mesmas pessoas de sempre aqui em casa, e nos lembramos de vocês, principalmente porque foi um almoço de recepção à minha mãe, com uma comida bem regional, do Pará: frango no tucupi, escondidinho de pirarucu desfiado, creme de cupuaçu e açaí com tapioca. Tudo muito especial e gostoso. Puxa! Que pena que não estavam por aqui para provar disso. O jeito é tentar imaginar os cheiros e sabores, através da tela do pc, como fez agora conosco.
Um grande abraço!
( Saudades da Jane, tão querida!)_

Mari disse...

Oi Rosana,
Que imagens lindas,
É de tirar o fôlego...
Que olhar especial você tem!
E que Brasilzão maravilhoso nós temos...eta nóis!
Beijos

Nárriman disse...

Rosana, lendo seu texto e viajando em suas imagens, sinto vergonha por conhecer tão pouco o meu estado. Você fez despertar em mim, o desejo de colocar uma mochila nas costas e sair por aí, desfrutando tudo de bom que o ES tem para me oferecer e que eu negligencio. Obrigada.

msgteresa disse...

Alo,Rosana!
O que dizer apos estas imagens lindas e palavras tao encantadoras ? Para mim parece tudo muito magico...Meus pensamentos viajaram junto...Passaram por cima do mar,do rio e flutuaram sobre a igreja...E foram se misturando aos ares marinhos e se diluindo em meio a imensidao azul...Mas,entao,aterrizei aqui em casa mesmo...Na noite do Rio de Janeiro, onde a chuva desce sem do nem piedade...Mas me senti confortada em poder navegar nessas sua imagens tao cheias de luz...Me fez esquecer,por alguns momentos,da chuva e da canseira da tarde tribulada...Me senti descansada e mais feliz!
Agora e so esperar mais um capitulo desta aventura capixaba...Com certeza,com todos os ingredientes que fazem uma receita feliz:Amigos,Alegria e um Lugar de Felicidade!
O meu abraco carinhoso pra ti!
Teresa

Solange Fernandes disse...

Rosana adoro estas igrejas históricas, trazem uma aura de encantamento inexplicável. Deve ter sido uma viagem especial mesmo.E protegida pelos reis...Bjs

Fala Mãe! disse...

Hum, sabe que cada vez tenho vontade de conhecer o ES. Narrado nesse seu tom único de poesia então, desperta ainda mais!
Pois é, acho que tb vou ter novela pra contar essa semana... ou será uma sitcom rs???
beijos querida e parabéns pelo dia da mulher!

rosana sperotto disse...

Lá, peguei carona no almoço caprichado pra tua mãe e adorei reconhecer a mesa, pratos, vasinhos... Tão mais fácil agora me transportar pra aí, adivinhar os gostos e cheiros bons que nascem na tua cozinha. E prepare-se: do jeito que essa casa anda recebendo hóspedes, além de blogueira embaixatriz do turismo do ES e ponto turístico do estado, vais acabar na rede hoteleira também (rsrs). Beijo, pra mãe também

Oi, Mari! É mesmo: podemos nos inchar de orgulho desse Brasil tão surpreendente em diversidade! Beijo

Nárriman: comigo é igual, conheço tão pouco meu estado. É, a gente acaba indo longe e deixando de lado o que temos por perto. Um exemplo: minha cidade recebe turistas e devotos de todas as partes do Brasil no Santuário do Padre Reus, e eu, olha, acho que era criança a última vez que estive lá. Abraço

Ô Teresa, me sinto lisonjeada com tua companhia pelos caminhos do ES e dessa amizade hoje tão real que nasceu nesse mundão blogueiro. Beijos

Solange, não quis estender o post, mas a história desse igreja é muito interessante, lembrando um pouco as Missões Jesuísticas aqui do estado. Beijo

Oi, Cynthia, tô aguardando ansiosa pelos capítulos que rolarão por aí! Beijo grande pra ti também pelo nosso dia