quinta-feira, 22 de julho de 2010

Abraçando Cecília forever

A filha Helena já tinha me dado a alegria do abraço real, depois de muitas trocas bloguísticas, e de dividir a mesa num jantarzinho inesquecível aqui em casa, junto com minha hóspede Laély, no início de junho. Ontem, no capítulo seguinte da nossa história recheada de sincronias, foi a vez de abraçar Cecília, a mãe. E a tarde emburrada e fria do Sul ganhou ares de festa que o coração reconhece quando não vê o tempo passar e o papo se desenrola macio como novelo de lã nas mãos das tricoteiras. Tal mãe, tal filha, as duas são mestras em quiltar tecidos, linguística e também assuntos para uma conversa colorida e harmoniosa, e assim foi nosso café na Villa D´Assisi, espaço bacana em São Leopoldo que reúne um combo de belas propostas: restaurante, livraria, escola de música, ambiente para exposições e shows de boa música, tudo isso ambientado numa casa de grande bom gosto.
Gosto bom experimentado pelas meninas nos doces e bebidas, como o "Brasileirinho", escolha certeira da carioca Cecília que não se intimidou com a baixa temperatura e optou por um café com sorvete. Não poderia me encolher, como gaúcha e entusiasta do inverno, e acompanhei o pedido da visita em outra versão: waffle quentinho com sorvete de creme
.

Mas antes disso, Edna, cunhada de Cecília, encarregou-se da trilha sonora do encontro no piano à disposição dos clientes. Despretensiosamente, nos presenteou com sua música e fez bonito.
Seguindo o tour pela Villa, na livraria mais uma sincronia aguardava Cecília bem à mão na estante que tem como atração os relógios mostrando as horas em diferentes partes do mundo: Tito Madi, citado por ela no post de chegada ao Rio Grande, que pode ser visto aqui.
Amizades que rapidamente criam intimidade é dádiva preciosa. Em pouco mais de uma hora estávamos tão à vontade que o papo passou também pelo banheiro, um show de estilo na Villa. Sabíamos que as meninas que nos acompanham também gostariam de conhecê-lo e, então, tratamos de clicar.
O amplo toalete da casa, que já foi moradia, manteve seu estilo anos 60 (ou seria 50?) e causa impacto. Um túnel do tempo com os azulejos contrastantes, almofadas, flores, bancada, todos na mesma paleta de cores (e seguindo o preto e rosa, a fotógrafa e sua bengala, com destaque para o colar com mandala: olha ele aí, Helena!), um ambiente totalmente "mulherzinha" que nos faz sentir divas em um camarim.
Menos diva, mas com um outro glamour embalando a aura, o das boas experiências vividas, começo mais um dia gelado com direito a auto-retrato, com a alma e o peito aquecidos pelos pontinhos da Cecília.
Abençoados são os pontos de luz que nos agrupam nesse surpreendente patchwork das vidas que se encontram, forever.

16 comentários:

Cecilia Helena disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cecilia Helena disse...

Olá Rosana, você ficou muito bonita nesta foto com o cachecol verde! Feliz encontro não é?! Beijos

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Vc tá mto bonita com esse cachecol!

Bonito esse espaço. Gostei do estilo, da decoraçao.
Bem gostoso para se reunir com amigos, não é? E a música é maravilhosa, pelo visto.

boa sexta pra vc! bjs

Mari disse...

Meninas,
Que delícia de encontro!E esse Sul maravilhoso que tem a cara do que eu amo!Friozinho e guloseimas deliciosas...hummmmm!
Beijos

Cris Rosa disse...

Adorei o chá da tarde ou seria sorvete?!
Ficou linda de verde, viu Rosana!
Era pra mim ter ido ao encontro mais acabei ficando de cama o dia todo!Nem sei o que me abateu?!Mamãe veio fez canja e hoje graças a Deus estou ótima!Como se nada tivesse acontecido!Fiquei triste por perder o encontro, mas é a vida, né? Desta vez não foi possivel, quem sabe na proxima!
Bjkas

Cecilia e Helena disse...

Nossa, Rosana! Que postagem linda! Foi, realmente, uma tarde encantadora!
Um abraço bem apertado e carinhoso da Cecilia.

Cecilia e Helena disse...

Ai, que liiiiiiiiiiiindas! A mamãe já me disse que adorou, mas que só vai dar pra postar sobre o encontro quando ela voltar para o RJ... eu já estava morta de curiosidade, quando, tcharaaaam... vc me aparece com as fotos e o post. Vcs três estão maravilhosas!!! Adorei ver a mandala em vc. E que lugar lindo! Eu nunca tinha ouvido falar!

Rosana Sperotto disse...

Oi, Cecília, viu só que gracinha o mini-cachecol tricotado pela tua xará? Fiz uma mágica aqui para o auto-retrato, esticando um braço e tentando fazer pose bonita, tudo pra mostrar o presente em uso. Beijos!

Ô, Alexandre, cara de recém-acordada e auto-fotografada, às vezes Deus ajuda (rsrs). O Villa tem uma proposta muito legal, e torço para que vingue. Nossa cidade é carente de espaços culturais, e ele vem preencher essa necessidade, com muita elegância e charme. Beijo, querido!

Oi, Mari! O frio tá mesmo dando as caras como há muito não fazia. Então, o melhor é curtir as coisas boas que ele nos traz, né? Eu a-d-o-r-o, mas a Cecília, carioca também fã do inverno, tá meio ressentida com essa semana gélida e chuvosa que encontrou por aqui. Beijo!

Cris, minha querida, lamentamos tua falta. Mas fico contente que estejas recuperada e, morando tão pertinho, não faltará oportundiade para batermos um bom papo, né? Beijo, bom fim de semana! Ah, adorei a carteira que acabo de ver lá no teu blog!

Cecília, amiga querida, às vezes sou meio derramada demais... Fico mais em paz sabendo que gostaste do registro do nosso capítulo em solo gaúcho. Ah, a gola verdinha já virou companheira de todas as horas. Acostumei com o pescoço quentinho e passei o dia desfilando com teus "pontinhos mágicos", toda exibida. Beijo grande!

Oi, Helena! Sentiste as orelhas chiando ontem à tarde?(rsrs) Falamos tanto em ti, e todas as fotos foram prescedidas do "Precisamos fotografar aqui e ali para Helena ver". Pena que a luz não estava boa, e a regulagem da câmera também não, e as "meninas" ficaram com seus olhos cobertos pelos reflexos nos óculos em várias imagens. Não preciso nem dizer o quanto só confirmei a admiração pela tua doce e encantadora mãe, né? Beijão!

Rosana Sperotto disse...

Ops, falha nossa, Helena! "Precedidas"! Não me perdoria um erro feio desses, muito menos com uma "doutora das palavras".(rsrs) Bj

Taia Assunção disse...

Nada como um encontro entre mulheres inteligentes e sensíveis...e fazendo coro com a Cecilia e o Alexandre realmente ficaste muito bonita com o cachecol verde. Beijocas!

Laély disse...

Ok, ok! "Devo, não nego. Pago, quando der."
Tô em falta com você e vejo que fui "multicitada", nestes seus últimos posts. É a presença, mesmo na ausência.
Rosana, agora "magoeei": não me levou aí, né? Tudo bem, que eu passeio pelos seus olhos e os da Cecília, tão querida! Que encontro gostoso!
Olha, eu faria um pedido duplo: o café gelado da Cecília, com o seu wafle quentinho( é tão bom, quanto aquele que comemos no chá do Hupner?)
Concordo com a Cecília Helena: você saiu muito bem, nessa foto! Seriam os novos ares, que lhe remoçaram?!
Tenho tanta coisa pra contar( de boa e de ruim...)!
Beijo grande!

Laély disse...

Esqueci de comentar que gostei do layout mais aberto e das letras mais visíveis, do título do post, que ficou fofo e do banheiro da Barbie. rs

Fernanda Reali disse...

Vou ser sincera: depois de ver o waffle com sorvete, nada mais vi, me desconcentrei!!! hehe

Eu aprendi a fazer essa gravatinha de lã, mas dei de presente, pois é raro aqui no Rio um frio que peça lã.

Amiga, respondendo aqui teu comentário feito no meu post de hoje, podes forrar as caixas de leite e erva amte com tecido de algodão, dá certo também! Aqui tem uma

http://fernandareali.blogspot.com/2010/07/reutilizando-embalagens.html

bjs

Rosana Sperotto disse...

Taia, com esses elogios, acho que vou passar a adotar a "técnica" do auto-retrato. (rsrs) Foi uma tarde especial mesmo. Beijo

Laély, estás sempre por aqui, sabes disso, mesmo quando tomas "chá de sumiço" (rsrs). Lembramos tanto de ti também no nosso encontro. Interessante isso: as pessoas que conhecemos por aqui só podem ser lembradas e comentadas com as que circulam no nosso "meio", né? Daí, tiramos o atrasado. Então, falávamos de sapatos, e Cecília lembrava dos teus; entramos naquele banheiro de Barbie, e logo comentei que gostarias de ter conhecido, e por aí foi... Uma pena mesmo que não deu tempo de irmos à Villa, mas, olha, o waffle do Rita Hoppner é imbatível. E como disse à Taia, daqui pra frente, só auto-fotos(rsrs). Será que só nós mesmos conhecemos nossos melhores ângulos? Beijos!

Oi, Fernanda! O waffle rouba a cena mesmo.(rs) A mantinha é uma delícia, "grudou" em mim como um vício, ajudando a driblar o friozão daqui. Vou olhar o post, tá? Obrigada! Beijo

dollystar disse...

Grande Rosana! A essa postagem chamo a descrição de fatos que nos levam silenciosamente a uma boa viagem. Fiquei aqui compartilhando desses momentos únicos e ainda em vôo,dividindo cada prosa diante de tantas delicias que o ambiente proporcionou.
Quantas "personalidades" de essência essa net nos permite conhecer! Você uma delas, obrigada amiga. Ainda um pouco afastada pelos afazeres em cascata que se me apresentam nos últimos dias prè viagem, me sinto até constrangida por minhas indelicadezas em não poder degustar postagens que tanto me enriquecem.
AS fotos ficaram maravilhosas, simpáticas as grandes amigas e restou-me somente o salivar diante do waffle quentinho...
Você está ótima na foto exibindo o cachecol verde, 10!
Ops, ia esquecendo do banheiro...que luxo hein? acho que é mesmo dos anos 60 quando o colorido começou a ganhar espaço nas decorações...
Super beijos
Dolly

Marcelo disse...

Obrigado por responder meu email e pelo convite para a exposição de mandalas,a propósito vc escreve muito bem.Agradeço seu carinho.Abraços se precisar de açucar sabe onde me encontrar.