terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Varais do tempo


Nosso último domingo foi daqueles dias que sabemos de antemão entrarão para a história prometendo que jamais o esqueceremos. Depois de muitos anos passando as festas cada um no seu ninho, reunimos irmãos, cunhados, tios e primos da família do marido para uma confraternização antecipada de Natal. E para trazer o tempo de volta, penduramos imagens da velha e boa época das crianças pequenas, vizinhas, convivendo diariamente num vaivém entre as casas e quintais, e também dos avós, que hoje moram no céu. Corações dos pais se derreteram na frente de seus filhotes dando os primeiros passos em direção à escalada dos anos, que mal sabíamos, pegaria uma velocidade tão grande. Corações dos primos se enterneceram ao se reverem tão próximos, cúmplices, amigos.
O dia também assinalou com exclamação os 30 anos! de nosso casamento, e outro varal reuniu registros dessa caminhada compartilhada por quase 4 décadas, e ganhou ares de troféu. Lá fora, o almoço tradicional dos gaúchos fica sob responsabilidade dos meninos e dá folga às cozinheiras.
Mas antes de dividir o churrasco nosso de cada domingo, momento da sobrinha dar voz ao que pede para ser dito em cada um de nós e, engasgados, agradecemos a união em comunhão.

Na companhia dos sobrinhos-netos, fomos em busca de outras emoções. José, Maria e Jesus pediram licença às fadas e neste Natal foram morar na casinha muito engraçada delas, sem portas e com teto de bacia de barro, num recanto do jardim. Como guardiãs da cena sagrada, postaram-se uma em cada lado das paredes externas, e para dividir tanta responsabilidade, pediram ajuda ao coelho da Páscoa, vigilante no pé da morada. À noite, as luzinhas tratam de multiplicar a graça do cenário do presépio. Em duas mesas fartas...
de sabores e conversas, um brinde à colaboração de cada um nas ideias e mão-de-obra. E acompanhando a sobremesa, a troca de presentinhos feitos em casa, única regra do grupo coeso na proposta de reduzir o consumismo desenfreado dessa época (Teresa, reconheces a caixa ali atrás?).

A criatividade também foi farta, recheada de boas surpresas e provou que, quando movidos à boa vontade, descobrimos dons para produzir e presentear com autenticidade. Textos, guirlandas, biscoitinhos (herança dessa tia às sobrinhas que muito me orgulha), bolinhos, calendários e até saquinhos de pipoca passearam pela sala entregues pelos ajudantes mirins.

Para as lembrancinhas da família anfitriã, escondidinhas aí atrás do castiçal gêmeo do da Laély, preparei muffins com casinhas de biscoitos, receitas de duas amigas que de tão sintonizadas, foram parar na mesma página do meu fiel companheiro de décadas. Os biscoitos de mel da Lu Gastal e os bolinhos da Ana Sinhana casaram com tamanha harmonia, que já teve até gente querendo encomendar. Mas este ano, a confeitaria está trabalhando apenas para o consumo interno, sorry.
Clique na imagem para pegar a receita.
As tradicionais casinhas de gingerbread eram sonho dos mais antigos nessa confeitaria doméstica. Faltavam os cortadores, mas via Submarino, consegui "importá-las" dos EUA, junto com um micro-livro que foi a maior a decepção quando chegou. Só depois da primeira remessa pronta parei de me xingar e me rendi aos encantos das pequeninas. Não são muito fofas?
Nossos convidados levaram outro mimo para casa, também com produção caseira, mas isso é assunto e surpresa para o próximo post. Parece que Papai Noel assoprou umas ideias por aqui e teremos uma promoçãozinha relâmpago rolando na semana do Natal. Fique de olho que eu fico sempre feliz em recebê-los.
Que a casa, real e virtual, continue cheia de trocas, laços renovados, abraços, inspiração... Amém!

15 comentários:

Luciana Espejo disse...

Adoro, adoro, adoro seus textos e suas ideas. No de hoje, gostei principalmente da troca de presentes feitos em casa. Parabéns por tudo, principalmente por cultivar o amor na sua família. Beijos

Voando como borboletas disse...

Olá que confraternização mais linda amei.Beijos de sol para te iluminar

Tina disse...

Ah, tia querida, "nossa fada"! Só vc mesmo para promover esse encontro histórico e torná-lo uma futura tradição. Penso que deveria constar nos direitos das crianças ter uma "Tia Rosana" em sua vida. Ainda estou muito emocionada e radiante com nosso almoço. E em meio a esse mundo em que os valores são outros, penso e reflito: "acho que o Natal para mim já foi dia 12/12/10".Beijocas

Mara disse...

Oi Rosana! Vim retribuir a visita e fiquei emocionada com esse post.
Que leitura maravilhosa dessa confraternização.
Uma familia assim é uma bênção, que Deus a conserve sempre assim.
Já virei seguidora.
Bjssss

Isis disse...

Rosana...
É exatamente isso que eu chamo de espírito de natal.
Fiquei emocionada ao ler o texto e ver as fotos.
Só no seu blog o natal não me entristece.
Beijos querida...

msgteresa disse...

Alô,Rosana!
Minha querida amiga, me emocionei com o teu texto tão repleto de carinho e alegria... Ver uma família unida e feliz como a tua,só nos faz acreditar que a felicidade é sempre possível,quando cultivada com respeito e amor!
Sabe,Rosana, acho que uma das coisas mais impressionantes do passar dos anos, é a sensação de vitórias e conquistas,sobre todas as pedras que encontramos no nosso caminho...É olhar para atrás e ver que todo o nosso esforço valeu sempre à pena, e que com um pouco de amor e dedicação conseguimos erguer um lindo castelo!
Te parabenizo novamente pelas bodas e também pela linda festa!

Meu abraço carinhoso e repleto de estrelas pra vocês!
Teresa

Fala, Mãe! disse...

Que delícia de confraternização. E esse mimo mais lindo, ensina a gente tia rosana rs! beijo querida

Laély disse...

Ô, amiga...falei certo sobre a filial do bom velhinho, aí na sua casa. Queria ser uma formiguinha( e como boa formiguinha, atacaria esses apetitosos doces!) nesse belo dia.
Mas anda tão "saidinha! Encomendando via internet, e dos States?!...Ninguém mais lhe segura, desse jeito!
Agora lembrei: ainda tenho umas coisinhas pra lhe mandar.
Abraço!

HelôZanardi disse...

Amém! Amém! A cada parágrafo e até para algumas palavras. Como podem braços cheios de sacolas abraçar? Resgatar lembranças enchem a alma de alegria e resulta sempre em grandes abraços carinhosos. E os docinhos são uma forma encantadora de dizer: eu amo a todos! Muito lindo! Muito lindo! Amém! Amém!

Rosana Sperotto disse...

Luciana, preparar os presentinhos fez com que a festa começasse bem antes e passamos a semana envolvidos com uma coisinha e outra. Isso é muito bom mesmo. Beijo!

Borboletinha, obrigada pelo carinho! Beijos do sul!

Ô, Tina, minha querida, quando penso que esgotei a dose do ano dos choros de alegria, encontro mais essa declaração de amor e volto a ficar com o nariz vermelho e os olhos encharcados. Também estou com a mesma impressão: tivemos um Natal prematuro, dificilmente outro momento me tocará tanto. Obrigada por fazer parte da minha vida. Beijos e + beijos!

Mara, seja muito bem-vinda, de verdade! Beijos!

Ô, Ísis, tuas palavras tocaram sininhos no meu coração. Quem sabe Papai Noel faz uma surpresa e traz um Natal diferente e mais bonito aí, hum? Beijo no coração!

Sim, Teresa, assino embaixo: nascemos para viver em castelos de harmonia e inspiração e construí-los é tarefa pra vida toda, né? Beijo grande, querida!

Cynthia, minha mais nova sobrinha (rsrs), vou providenciar um PAP das casinhas, tá? Beijão!

Laély,não imaginas a frustração quando abri o pacote e encontrei o micro-livro com as duas mini-forminhas. Mas acabei apaixonada pelas casinhas e estamos em produção conjunta delas, eu e tia Dada. Beijo!

Helô, é verdade: como podem braços cheios de sacolas abraçar? Fico tão feliz que tenhas curtido o post. Beijo, querida!

Anita disse...

Rosana, é delicioso ler os seus posts, e que idéia linda essa dos varais de fotos para recordar. Fiquei com água na boca dessas delícias que a família ganhou.
Rosana e agora acabei de ler o comentário da Tina, parece que é sua sobrinha, com uma declaração dessas o seu Natal realmente já aconteceu, que lindo.
Ah vim te falar tbem que postei ontem a minha árvore espacial, rs. Vc chegou a ver??? Bjs.

Solange Fernandes disse...

É recordar é viver. Estes momentos são únicos para nossa alma. Que festança boa , e o que são, os cupcakes da casinha, me apaixonei.Bjs

Malu Machado disse...

Olá Rosana,

Cheguei aqui pelo blog da Isis e gostei. Adorei a confraternização de Natal da sua família. Tem algo importante demais aí no seu relato. Tem alma.

Beijo grande e Feliz Natal !

Malu Machado disse...

Olá Rosana,

Cheguei aqui pelo blog da Isis e gostei. Adorei a confraternização de Natal da sua família. Tem algo importante demais aí no seu relato. Tem alma.

Beijo grande e Feliz Natal !

Malu Machado disse...

Olá Rosana,

Cheguei aqui pelo blog da Isis e gostei. Adorei a confraternização de Natal da sua família. Tem algo importante demais aí no seu relato. Tem alma.

Beijo grande e Feliz Natal !