segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Da terra da uva...

...trouxe pêssegos, graúdos e perfumados, comprados direto da fonte. As uvas, essas namorei de longe, na região de Bento Gonçalves, nos parreirais que cobrem morros e vales em imensos tapetes, em muitos tons de verde, onde vi nascer 2011. Praticamente toda a produção tem destino certo: as incontáveis vinícolas, que produzem os vinhos que tanto orgulham os gaúchos, e também o suco (adoro!) que abastecem grande parte do país.
Trabalhar a quatro mãos é sempre uma experiência rica, e foi assim que iniciei o ano das atividades na cozinha, o que considerei um bom presságio. Ao voltar do passeio, encontrei uma surpresa daquelas na geladeira: uma massa amanteigada de torta prontinha!, à espera de um belo recheio. Presente do filho, que viajara e não tivera tempo de concluir o projeto. Pus a mão (que exibia unhas vermelhas como raramente acontece e quase me roubam a identidade...rs) na massa e cobri o fundo e um pouco das bordas de uma fôrma de aro removível com ela. Levei ao forno em temperatura alta para pré-assar por 10 minutinhos.
Descasquei e fatiei 5 pêssegos polpudos e cobri a massa com eles.
Misturei 1 xícara de creme de leite fesco (nata) com a casca de meia laranja e levei ao fogo até ferver. Deixei paradinho por meia hora e coei. Bati 3 gemas com 3/4 de xícara de açúcar e uma pitada de sal e juntei à primeira mistura.
Derramei sobre os pêssegos.
Com cortadores de biscoito, recortei corações e estrelinhas com a sobra da massa e distribuí na fôrma. Reparem nos minúsculos pontinhos escuros na massa. São sementinhas de baunilha (de verdade...rs), um luxo que, depois que experimentamos, dói na alma voltar à essência de vidrinho.
Voltei ao forno, dessa vez em temperatura média, por cerca de 45 minutos.
E ficou assim...
... uma gostosura, casando o azedinho da fruta com a crocância da massa.
Para quem quiser cometer o mesmo pecado, encontrei a receita da massa num blog de confeitaria que confio muito, o Chocolatria, da doce Simone, neste endereço aqui. Aconselho a fazer a receita dobrada e a também experimentar sua versão, com recheio de maçãs, um clássico que nunca perde espaço para paladares delicados. Ah, e para garantir a autenticidade da nossa torta de pêssegos, vale investir numa fava de baunilha. Acredite, só o aroma já vale o investimento.
Que as parcerias que alimentam a vida com os melhores condimentos continuem presenteando a nós todos com boas surpresas. Amém!

13 comentários:

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

mas que maldade... o texto tá uma delícia de ler, isso já é normal por aqui rs. e essas fotos, é pra matar a gente de vontade. imagino o aroma, o sabor dessa maravilha ai.
eita povo sortudo, os que desfrutaram dessa delícia! inveja (da boa) rs
bom dia!

Anita disse...

Isso nesse horário pra quem está tentando cortar os doces, é uma maldade, rs. Oh my...isso deve estar uma delícia, se eu já gosto de uma baunilha de vidrinho, imagina o sabor da legítima, bjs.

Ana Matusita disse...

Linda torta, lindas frutas!
A si do chocolatria é um doce de pessoa (até merece o trocadilho) e as receitas dela, sempre confiáveis.
bj,
ana

Fala, Mãe! disse...

Que linda e apetitosa que ficou a torta, adorei as estrelas e corações, quero comprar um cortadores pra roubar a ideia rs
beijo Rosana querida!

Taia Assunção disse...

Faço das palavras do Alexandre as minhas. Adoro a doçura contida em seus textos, acompanhada por tão doces imagens ficam irresistíveis. Beijocas!

Alfa & Ômega disse...

Que espetáculo de torta! Garanto que se eu a fizer com pêssegos em lata, ela não ficará tão saborosa quanto! Paz e bem!

Cris Rosa disse...

Que delícia Rosana! Estou com meu forno estragado, então não posso fazer nada!
Acho que trouxe um ar mais fresco para POA...!
bjkas

Maria Amélia disse...

Oi Rosana, ficou linda e com a carinha daquela torta das histórias em quadrinhos, aquela que ficava na janela soltando uma fumacinha...ai ai ai, morro de vontade de fazer uma de maçãs. Vou pegar a receita e colocar na fila. Quem sabe consigo fazer depois dos biscoitinhos da Lu Gastal. bjs. mamélia

msgteresa disse...

Querida Rosana!
Que beleza é poder começar o ano fazendo tortas maravilhosas,hein? E eu que adoooro pêssegos, fico daqui de longe, sonhando com esta preciosa e delicada tentação... Hummmm!
Eu também posso dizer que semelhantemente, comecei o ano também com a "mão na massa", mas só que foi uma jornada entre pavês, mousse e bolo de chocolate...Tudo para agradar o paladar "exigente" dos meus meninos e das minhas sobrinhas! Tivemos até que "cantar o parabéns" pro Ano Novo (Rs...), idéia da minha sobrinha Juliana,de 6 aninhos, que com a sua voz de boneca faz derreter até as neves do Himalaia (Rs...)! Quem poderá negar um pedido à uma menininha dessas? (Rs...)
Uma lindeza a sua torta! E que muitas delícias ainda venham nos encantar ao longo desse novo ano!
Beijinhos doces pra ti aqui dos cariocas!!!
Teresa

So artes disse...

que delicia de post querida...maldade..deixa a gente com saudades do Brasil :)
Olha, o formulario estava faltando um dado e nao fez sua inscricao no sorteio...agora sa acertamos.
Vc pode se inscrever novamente?
Boa sorte, viu?
beijinhos carinhosos
So

Jud disse...

Oi querida Rosana,
O carteiro chegou!
Acabei de receber o calendário que ganhei no seu sorteio, é a primeira vez que ganhei algo em sorteios.
Adorei, já está aqui penduradinho no meu cantinho craft!
Muito grata e hummm...adorei esta torta de pessegos!
Bjsss,
jud-artes

Rosana Sperotto disse...

Queridos, tê-los sentados aqui na minha mesa, em volta da torta que é especial por ser fruto da parceria com o filho, me delicia. A cada comentário minha taça de satisfação enche um pouquinho mais, e logo dá vontade de voltar à cozinha e preparar novo post para recebê-los mais uma vez. Obrigada! Beijos pra cada um!

Laély disse...

Covardia!...
Tô querendo fazer uma torta de frutas como essa, pra ontem!
Rosana, proponho-lhe uma troca: mando-lhe sementes de alfavaca e você me manda baunilha( a gente acerta essa diferença, depois).
Falou certo: depois que se experimenta a fava, a essência fica enjoativa. Tenho usado-a poucas vezes e, em pequena quantidade.
Beijos doces!