domingo, 19 de fevereiro de 2012

Mandala no banquinho e algumas lições

Lembram dos snowflakes da minha árvore de Natal? Pois é, gostei tanto deles, que resisti a guardá-los junto com as bolinhas e outros enfeites e fiquei à espera de uma boa ideia para reutilizá-los. Há semanas, talvez por invejar as nevascas do hemisfério norte, lembrei deles e se acendeu a luzinha aquela que nos move nas manualidades. Mas, como quase sempre, faltava material e tempo para testar o projetinho.


Consegui finalmente por a ideia em prática na quinta-feira, apesar do dia tórrido. Mais uma vez peguei carona com Bruno, que desde a experiência com a tinta spray, parece ter-se tornado um apaixonado por grafite.

Começamos preparando a peça escolhida para cobaia, um banco bem velhinho. Pintamos os pés de branco e o assento, de azul, tudo com "sprayzadas" descompromissadas, com a intenção de conseguir um resultado mais rústico. Como a tinta seca rápido, minutos depois centralizei a mandala na superfície, ainda um pouquinho de nada úmida, o que ajudou a fixar levemente o recorte de papel.



Com pequenos jatos de tinta de branca, cobri o centro e fui esfumaçando para as bordas. Daí foi só segurar nossa ansiedade e aguardar uns minutinhos para retirar a máscara (com pinça) e ver a mágica.



O efeito positivo-negativo sempre me encanta, e dessa vez não foi diferente. Gostei também dos pontinhos mais carregados de tinta, resultado da falta de jeito com o spray. Parecem estrelinhas, não? O sombreado de algumas áreas acontece quando o estêncil não fica bem fixado, mas isso não me incomodou. O resultado surpresa é uma curtição, sem falar que é um treino bacana para os controladores aprenderem a deixar a coisa acontecer de maneira espontânea.



O trabalho é muito fácil, bem de acordo com a paciência que anda curta nesses dias beirando 40 graus nesse Estado tão badalado pelo inverno. Castigada pela ressaca do verão, estranho pensar que para muitos o calor é combustível para a folia de Carnaval. Não só para os foliões e amantes da estação do sol, também na natureza, a seca e as altas temperaturas são fermento para algumas espécies. A bougainvillea na frente de casa é exemplo vivo e muito colorido de que todos os tempos guardam suas belezas. Tento assimilar a lição.



Esta rainha forte (seria de Ouros, Cacau?), que chegou aqui bebê, em poucos anos entrelaçou-se de tal modo no antigo pinheiro, que acabou por roubar-lhe a vida. Faltou dar-lhe limites, eu sei, e também essa é característica a ser melhor trabalhada. Lamento por ele, plantado pelo sogro que também já se foi há mais de 30 anos, mas...



... não posso negar o deslumbramento que sua majestade me contempla da manhã à noitinha com seu maciço de flores "cor-de-maravilha" sempre ao alcance do meu olhar. Um cenário exuberante para a janela da sala/cozinha, reduto onde passo a maior parte das horas dessa vida doméstica intensificada pela mudança de rotina desde a "aposentadoria" e a vinda da mãe para nossa casa.

Que tenhamos olhos espertos, bem abertos, para os tantos recados que o cotidiano nos oferece. Amém.

9 comentários:

Solange Fernandes disse...

Adorei a mandala no banco, deu charme a mais.
E árvore, deve ser uma alegria para a alma todos os dias, sou encantada com árvores, as floridas então, ai ai.Bjs

Beth disse...

Bom te ver por aqui, fico feliz em ver que mesmo nos 40° e todas as atividades rotineiras e desgastantes, tens disposição para "manualidades" e mais ainda, dispor-te a nos brindar com o resultado.
Passando o carnaval, minha funcionária retorna e aí pretendo mexer com alguma coisa para a Páscoa.
Preciso ânimo, que está um tanto em falta.
Beijos carinhosos querida amiga.

Anita disse...

Ficou lindo de viver, gostei do efeito esfumaçado, ficou algo bem celestial mesmo. E que deslumbre deve ser, o privilégio de ver da janela essas flores tão lindas, bjs.

Taia Assunção disse...

Ficou fofo, adorei a cor. E a primavera é deslumbrante, mamãe tem uma da mesma cor. Marido quem a presenteou, era um bonsai. Com a paciência de um sagui ela retirou do vaso e plantou no jardim da frente de casa...rsrsrsrsrs. Beijocas!

Rosana Remor disse...

Que lindas as mandalas de rolinhos do post anterior! E a do banquinho...mágica!!Aqui também o calor castiga, tenho molhado minhas plantas muitas vezes por semana, pois a chuva não vem. Ainda bem que elas estão vindo lindas, saudáveis,amém!!Bjs!

Alfa & Ômega disse...

Que gracinha ficou o banquinho! Eu adorei! Grande abraço!

Ivani disse...

seus textos são deliciosos, não me canso de dizer.
junte-se a qualidade da leitura ao encantamentos das fotos e tudo fica perfeito.
o banquinho ficou mesmo uma gracinha, bem suave e alegre.
quanto à "primavera" como a chamamos aqui é mesmo de uma beleza exuberante.
tnha uma branca emfrente do terraço quando morava em uma casa térrea.
um belo dia notamos que ela tomou conta do telhado, madeiras e telhas.
quem olhasse de cima, sobrevoando, veria uma casa coberta de flores.
era lindo mas "acabou" com o telhado. Levantou todas telhas com seus galhos fortes e xeretas.
Mas ela continua lá, limitada pela tesoura da atual moradora.
Lindo seu texto, como sempre, e parabéns pela beleza de suas flores.
Beijos, bom feriado.

Fabiano Mayrink disse...

Oi Rosana boa noite!

menina eu to pensando a tempos em comprar uma bougainvillea, acho muito bonito os cachos de flores sempre vivas que elas dao,

o seu banquinho ficou um charme bem que vc falou, as gotinhas de tinta ficaram iguais a umas estrelinhas bem longes no ceu, ficou muito bonito!

;)

Elvira disse...

Sinto tanta saudades de poder ficar olhando pelas janelas de casa...pude até sentir o perfume de uma manhã...minha mãe amava flores...obrigada!Lindo demais....