quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Para marcar o ano com arte e amizade

Meu fevereiro ganhou uma companhia muito especial: Frida Kahlo, que divide comigo um pedaço relevante da sua e da minha história. Nós duas contraímos poliomielite na infância. É interessante como o sofrimento "compartilhado" cria uma cumplicidade estranha. Saber que vivemos situações semelhantes, por si só, gera tamanha proximidade, que basta ver sua imagem para perceber uma compreensão profunda no seu olhar. Sei que ela conhece a zona de desconforto que os diferentes experimentam com os dois pés conforme precisam caminhar pela vida, muito mais nos primeiros passos. Sei também que sublimamos muito da nossa limitação nos fixando nas borboletas. Se ela estampou uma revoada delas no gesso que cobriu seu corpo depois que o destino dobrou sua dor (o terrível acidente que a sequelou para sempre), na falta do brilhantismo do seu talento, também eu sigo perseguindo as criaturinhas aladas fotografando-as, observando-as nos detalhes, explorando-as ao máximo nas manualidades, muito antes de invadirem a moda e o gosto popular.

Sim, Frida, "para que preciso de pés, se tenho asas para voar..." Esse é o mantra que salva da amargura. Nem sempre na ponta da língua, mas sempre à disposição num cantinho da alma quando o "bicho pega".
O belíssimo calendário é presente de outra mulher forte, sensível e sábia, também dona de um território de arte fértil. E porque os afins acabam por se encontrar, assim que organizei as fotos, me encantei em ver a linha das afinidades registrada no concreto.
Anelise também ama as borboletas.

Talvez também encontre nelas a porta de saída para essa realidade paralela que nos ampara para viver com mais atenção. Como disse tão bem a Jô, do Arte Amiga, "a gente precisa sair do automático para aproveitar nossos dias". A arte é aliada fiel nessa empreitada, não tenho dúvidas. E também para nos conectar com a espiritualidade genuína, independente das crenças ou religiões.


Obrigada, Ane! O cartão também vai para a parede com a proposta de treino diário.

A cada novo mês, assim que virar a folhinha, mostrarei para os amigos do Amém.

Que a beleza deixe suas marcas no nosso tempo. Amém.

7 comentários:

Ivani disse...

Presente maravilhoso em amiga?
Palavras tão doces, artesanato lindo, você bem que merece esse afago.
Quanto à Frida,penso que não é só a doença de infância e o sofrimento que vocês compartilharam.
Há aí, a meu ver, uma mistura de bom gosto, charme e garra.
Você é um encanto Rosana, adoro vir aqui.
Beijos

Jô Bibas disse...

Rosana, adorei estar aqui. E esse post está lindo e sensível.
BJô

Beth disse...

Rosana querida, nossa Frida Kahlo dos pampas, és linda, amiga, amada, encantas a todos com tuas palavras e manualidades, que tenhas sempre lindas borboletas povoando teus dias. Assim como elas, és especial e alcanças as "asas" do Universo.
Carinhoso abraço.

Cynthia Le Bourlegat disse...

Lindo o presente! Vc e Frida tem mesmo muito em comum, duas mulheres fortes e com arte na alma!Adoro frida kahlo! beijo querida

Fabiano Mayrink disse...

Oi Rosana bom dia! é verdade minha amiga só que sente na pele alguma coisa que sabe realmente como são as dificuldades e etc,

é tao bom receber mimos né :) o cartão é mesmo um encanto de tao criativo!

sobre seu comentario:

eu vi na tv que ai no sul ta mesmo uma seca brava, aq no sudeste choveu muito, aq em minha cidade choveu uns 30 dias, sorte que onde moro não se tem estas enchentes e etc pesadas,

eu gosto de dar explicações de uma forma que todo mundo entende, axo bacana pq nem todo mundo precisa aprender os nomes dificeis da biologia!! rs

Sue Paula disse...

Que delícia estar aqui neste final de tarde e ler seu lindo post.
Dias de muita paz e amor para você.
Abracinhos floridos
Sue

msgteresa disse...

Querida Rosana!
Muito linda a maneira que você nos descreve a tua estória,linhas paralelas que se enlaçam com a da Frida...Pessoas tão especiais,cujos espíritos iluminados, estão muito além desta nossa vida terrena.
E sem dúvida, poder ter "asas" é pura dádiva, que pode ns levar à outros mundos e outras estrelas... Quem poderá impedir tais "seres alados" de voarem livremente? E nesta liberdade, a arte se faz presente, iluminando o caminho!
Minha querida, mesmo que tu nos lembre da tua limitação física, saibas que te vejo sempre,no meu coração, como uma mulher linda, uma fada mágica e esguia, que reluz entre as luzes douradas do amanhecer!
Lindo os presentes da querida amiga... Lindo o teu post com a Frida... E tu que sempre me emociona o coração!

Que a brisa serena e perfumada leve o meu abraço carinhoso à ti!
Teresa