quinta-feira, 18 de março de 2010

Coelha teimosa = biscoitos vintage

Já faz alguns anos que ando atrás da "Feliz Páscoa" que já vivemos, festa que tem minha preferência entre as celebrações do ano, superando até o Natal, e olha que sou natalina. Talvez a preferência aconteça pelo link outono, renascimento, doces, o Coelho com sua identidade oculta, diferente da de Papai Noel, tão explorada e tantas vezes distorcida. Gosto do ritual dos momentos simbólicos da morte e ressurreição, da compra menos frenética de presentes, das brincadeiras antigas com os pequenos, entre outros quesitos encantadores que até abril com certeza aparecerão por aqui. Pois são as crianças que motivaram a reflexão para esse post, porque para elas, venho acompanhando consternada, Páscoa tem um sentido inverso ao que vivenciamos até uns 20 atrás. À garotada de hoje tem-se mostrado uma data vazia de encantamento, e lastimo muito essa perda. É um pedaço rico de fantasia que está sendo comido da sua infância, e a gente quase não se dá por conta e segue a massa, de cabeça feita pela mídia que vende aquilo que, se não nos acostumássemos, escandalizaria. Quando imaginaríamos o Coelho relegado a segundo ou terceiro planos para entrarem em ação os super-heróis da moda?

Onde foi parar a graça da surpresa se são nossos meninos, cada vez mais cedo, que escolhem no encarte das lojas o ovo que ganharão, nem tanto pelo chocolate, mas pelo brinquedo guardado lá dentro e que não tem nenhuma relação com o motivo da festa, poderia me explicar, Homem Morcego? Eles não ouvem mais o barulhinho bom dos bombons que se tentava adivinhar sacudindo o ovo, nem das passadas rápidas do Coelho nas noites de pouco sono dos sábados que antecediam o domingo mágico. Não vêem o vulto do orelhudo correndo pela casa. Muitos não ganham mais ninho, pois seus olhinhos brilham, e não por muito tempo, é pelos "badulaques-surpresa" dos tais ovos. Se o mundo lhes oferece histórias em fantásticas imagens nos telões em 3D, também lhes tira, ou não incentiva, o desenvolvimento da fantasia pura e simples, tão importante para a saúde emocional, para a alegria da alma, da infância à velhice.
Mas sou teimosa, bem mais quando a questão é perda de encantamentos, e ando então às voltas com o resgate das alegrias da Páscoa, incorporando a coelha doceira, papel que me alimenta como poucos. A inspiração para a produção 2010 nasceu na conversa com a amiga Susi, uma suíça biscoiteira de mão cheia. Pincei lá do canto das boas memórias a figura dos coelhos de biscoito de mel que não podiam faltar enfeitando o ninho dos filhos na minha casa de menina. Há anos não os encontro, tanto que tinham caído no esquecimento. Mas foram salvos e ficaram rondando até a ideia ganhar novo formato, mantendo a mesma estrutura: o pão de mel recortado, agora retangular, coberto por uma gravura, originalmente com a figura do coelho, agora com os belíssimos cartões vintage que me tomaram horas de deslumbramento neste endereço aqui do Flickr, com mais de 1.700 imagens. Na busca por uma massa fofinha, resolvi testar a receita da Lu Gastal, mostrada no Superziper no Natal. Aprovada e recomendada: clica aqui que você chega no destino das abelhinhas. Se quiser experimentar a brincadeira, aí vão algumas sugestões.
Para os retângulos, improvise usando lata de sardinha como cortador, ou faça um molde retangular de 15 x 11cm, em cartolina, como usei para recortar os biscoitos maiores.
Gostoso purinho, melhor ainda recheado: derreta 1 barra (17o g) de chocolate amargo e junte meio pote de um bom doce de leite. Misture bem...
espalhe uma camada generosa sobre um biscoito e cubra com outro.
O resultado que deixou a coelha toda faceira, com direito a uma mordida bem dada, para mostrar a textura da massa. (clica na imagem para ver os detalhes das belas ilustrações)
E aí em cima, parte da produção embalada (melhor parte da brincadeira) como antigamente, com três ingredientes que não podem faltar na minha vida, muito menos na Páscoa: papel de seda e fita mimosa de todas cores e papel celofane. Na próxima fornada talvez ganhe um ajudante-mirim, em quem deposito minha esperança de dar continuidade a essas criancices que me fazem começar o dia com entusiasmo. Bruno também prefere ovo-com-surpresa, mas gosta de fazer biscoito e das pequenas surpresas que essas atividades simples nos presenteiam. Um sinal verde que vale o investimento nas horas compartilhadas com a mão na massa. Uma curtição, porque brincar acompanhada tem muito graça!

Dedicatória
Este post vai especialmente para dois amigos queridos lá das Minas Gerais, que esperam há dias para a receita dos biscoitos sair do forno. Cláudia Mello, que também contribui diariamente com o astral das minhas manhãs pelo Via Tarot, e Fabiano Mayrink, do Blog do Luar Encantado. Surpresas é com eles mesmos, e eu adorei recebê-las como prova de que a nossa melhor parte é mesmo movida a gentis trocas. Fofas, a bolsinha e capa para livro são produções da Cláudia - jornalista, taróloga e crafter - no seu terceiro turno.


Anunciando o outono, o móbile do Fabiano é um manifesto à beleza natural, tudo a ver com esse menino que percorre os caminhos da Biologia.

18 comentários:

Cláudia Mello disse...

Minha querida Rosana!

Adoro as nossas frequências sempre alinhadas!

Vou reproduzir aqui um comentário que fiz em outro blog respondendo: por que eu gosto da Páscoa?

"Quando era criança, eu sempre soube que não existia um Papai Noel ou um coelhinho da Páscoa de verdade, mas minha mãe contava histórias que explicavam a criação dessas tradições. Com isso, eu pude viver momentos lindos e ao mesmo tempo ter a consciência de que era a minha mãe, com seu amor e carinho, que criava todo aquele ambiente mágico.

Na Páscoa, eu acordava com carinhos e era levada a seguir as pegadas do coelhinho, feitas com a marca de três dedinhos cheios de farinha, por toda a casa! Ao invés de um ovo de Páscoa enorme, eu sempre preferi vários chocolatinhos e ovinhos menores, para poder descobrir coisas gostosas por toda a casa. Junto com as pegadas, havia os bilhetinhos, cheios de adivinhações e pistas!

Quando meu filho nasceu, repeti tudo que aprendi com minha mãe. E era uma delícia vê-lo correr por toda a casa e pelo quintal, procurando guloseimas e presentinhos.

Hoje, ele é um rapaz lindo de 17 anos, e juntos lembramos desses momentos bons, com a apreciação feliz de minha mãe. Espero um dia ver os meus netos fazendo a mesma coisa... Porque eu acho que a coisa mais gostosa na Páscoa é reunir a família e perpetuar por gerações todo o amor que recebemos."

Que seria da nossa vida sem toda essa magia???

beijos e obrigada pelo carinho

Lu Pietra disse...

Ro....FELIZ DIA DO ARTESÃO PARA VOCE...

O seu post me deixou tão emocionada, to aqui chorando lembrando de minha mãe na páscoa, com seus ninhos, patinhas pintadas no quintal,até os ninhos...como era bom, ela fez isso para os netos tb, Lourenço ama os ninhos. Cada dia que passa penso mais que nós que temos essa sensibilidade devemos ter a obrigação de devolvermos aos nossos filhos essa mágica que se perdeu, com toda tecnologia de consumo...
Ro...obrigado por ser voce mais uma a acreditar nas coisas boas da vida..
deviamos formarmos juntos um grupo para retomarmos a mágica de viver...que voce acha?

Minha querida...do fundo do meu coração um beijo enorme para voce...

NAMASTE.

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Antes de tudo eu fico feliz pela dedicatória ao Fabiano. Ele é uma pessoa especial, um ser humano de coração muito bonito. O bom sentimento que ele transmite em seu blog é algo que vale registrar.

Tava lendo o seu post...e refletindo. Aqui tb temos comemorações. As que são "importadas", como por exemplo o Natal, são puramente comerciais.

Mas as tradições locais tem sua história presente, relembrada. Os presentes, a comida, tudo é um pouco só mais caprichado que o normal. Mas as festas, os festivais, o sentimento do povo sim ainda refletem a verdadeira história das datas comemorativas. A história é contada, recontada, cada data tem seu motivo de existir e não é só venda. Talvez por isso tantas tradições se mantém por tanto tempo.

Eu fico triste de ver que tudo virou festa de consumo. As crianças nem fazem idéia do que representa a data. Pensam nos ovos de chocolate, claro. Mas agora o ovo tem que ser do Batman, com enfeitinho, com presente, mais bonito que do coleguinha, maior que da vizinha, e por ai afora... triste.

A fantasia já vem pronta, empurrada via tv, cinema 3D. Acabou a imaginação, a criatividade, o encantamento. Muito bem apontado esse seu parecer.

E gostei muito da receita postada. Adoro pão de mel e tem tudo a ver com essa data tão bonita.

Bjos e desde já te desejo uma feliz, feliz mesmo páscoa pra vc e os seus.

Tina disse...

Depois de crescidas e agora profs, as sobrinhas tentam seguir a teimosia da tia e procuram rebuscar e passar para seus alunos alguns encantamentos perdidos. Não arriscaremos essa novidade tão linda, mas com certeza as bolachinhas farão a festa na Páscoa solidária.
Beijocas
Tina

Carina Sperotto de Moraes disse...

Sigo nesta vida me orgulhando de te ter como TIA...sigo me emocionando com tantos talentos...com tanto carinho...com tanto amor...com tanta ternura...com tanta LUZ... Tu é isso tudo tia e muito mais...TE AMO!!!

Mari disse...

Olá Rosana,
Ah, que bom...
Estava meio desanimada com a Páscoa e você com esse amor e delicadeza me estimulou novamente. Adorava fazer patinhas com giz pelo caminho do coelho pros meus filhos procurarem seus ovos...Era uma farra!
Hoje é tudo tão comercial...Mas você me deu essa ideia maravilhosa.Vou convidar meus netos pra me ajudar com os biscoitos... Adorei. Beijos e uma Páscoa abençoada pra você e família.

rosana sperotto disse...

Cláudia, querida, obrigada por dividir suas histórias. Elas explicam a nossa "frequência alinhada", vivências que nos fortaleceram em meninas e seguem apontando o norte, né? Nossa sintonia me faz tanto bem, não imaginas! Beijo

Ô Lu, às vezes sem intenção direta a gente toca o outro, abre suas gavetinhas... Saudade de quem nos deixou lembranças preciosas doem de uma maneira diferente, sei bem. Querida, olha, acho que já estamos com esse grupo encaminhado por esse canal aqui, que é meio mágico e nos possibilita encontros tão significativos, como o nosso. Abraço bem grande, também de todo coração

Alexandre, adoro tua presença aqui, teus relatos daí, do "outro lado do mundo". Não é demais que a gente fale a mesma língua e tenha o mesmo olhar sobre tantas coisas vivendo realidades tão diferentes? Que continuemos perseguindo o encantamento, juntos, por esse caminho virtual tão rico. Beijos do sul do Brasil!


Tina e Carina, assim essa tia chorona não consegue formular nem digitar uma resposta à altura desse carinho todo! Queridas, dia desses ainda comentei com o Vi o quanto admiro a vocação de vocês e o entusiasmo e a dedicação que colocam nesse ofício tão valioso que é o de professor. Se ajudo a inspirar, e a por a mão na massa (rsrs), é porque vocês também têm a teimosia nas veias, apesar de não termos o mesmo sangue. Beijos, queridas!

Oi, Mari, que notícia boa essa! Que bom saber que te contagiei com a teimosia pascolina(rsrs). Depois me conta como foi a brincadeira aí com teus netos, tá? Vou adorar saber. Beijos da "coelha" pra vocês!

Cecilia e Helena disse...

Oi, Rosana! Te escrevi um e-mail pedindo seu endereço. Vc pode dar uma olhadinha na sua caixa postal?
Beijos!
Helena

Fabiano Mayrink disse...

Rosana respondendo meus comentarios de anti ontem, resolvi visitar seu blog e me deparei com tamanha delicia e afetos que me emocionei! Obrigado pelo carinho, ter visto a foto do meu presentinho que um dia estava fazendo pra te enviar, foi uma sensaçao muito boa ^^

sabe eu sinto falta tambem da epoca ja passada mesmo pegando o ultimo ano da decada de 80 pois nasci em 89, lembro que minha mae enfeitava uma arvore da felicidade com enfeites de pascoa, coelhinhos e enfeites coloridos de ovinhos feitos a mão, o epoca boa! Tenho q me animar mais, fazer estas delicadezas que devem ate contagiar outras pessoas!

um abraço apertado aqui de minas gerais!

Fala Mãe! disse...

Rosana do céu! Que maravilhosas que ficaram as embalagens vintages de páscoa, achei a coisa mais linda, estão de emocionar!
E essa pasta de chocolate amargo com doce de leite, tô aqui babando imaginando o gosto, quero fazer! (ai o regime...)Adorei o post, como sempre, e sou revoltada com esses ovos brinquedos que a criança já vem treinada da escola sabendo o que vai pedir, zero encantamento mesmo rs!
beijos
Cynthia

rosana sperotto disse...

Cecília e Helena, o e-mail não chegou. Deixei um recadinho lá no blog de vocês, tá? Beijos da sortuda

Fabiano, adorei a ideia da árvore da felicidade! Com uma mãe assim criativa e sensível, o fruto não poderia ter caído mesmo longe do pé... Abraço com carinho

Fala Mãe!, é um abuso mesmo isso que fazem com nossos pequenos vendendo essas distorções, né? Olha, aguarda que as imagens vintage estão rendendo outras invenções por aqui. Ah, e o recheio de chocolate com doce de leite, e maravilhoso (e prático)pra rechear e cobrir bolos e tortas... Beijos doces, queridas!

KINHA disse...

Olá amiga

A Kinha do blog AMIGAda MODA,quer sua participação na nova promoção. Em parceria com a empresa de moda DUTMY e a J&J Comunicações está sorteando um belo vestido da marca. Venha conferir no blog e faça sua inscrição. Avise suas amigas e seguidoras. Bom Domingo...

Beijo

Andrea Guim disse...

Oi, Rosana!

Hoje, domingo, o BLOG'ARTE vai fazer sua primeira PROMÔ!!!!
Passa lá pra participar!!!

Beijins,
Andrea Guim

Carina disse...

Olá Rosana!
Adorei sua visita, viu?!!
Menina, mas quantas delícias por aqui!!
Tb te seguindo!
bjinho

Tina disse...

Em nossa conversa sobre os biscoitos me esqueci de perguntar o que comprar para decorá-los. Vou tentar trocar as embalagens amanhã pela manhã. Te mandei um e-mail, se puder me responder logo porque é o tempo que tenho para comprar os ingredientes. Estou anciosa para colocar a mão na massa.Bjs

Sherol Vinhas disse...

Me senti em casa no seu blog, também não aceito algumas mudanças impostas pela modernidade, principalmente as das não fantasias da imaginação infantil, tive isso quando criança e uso hoje com os meus filhos, no Natal escondo os presentes até a hora última hora e faço barulhos junto com meu marido para as crianças pensarem que o Papai Noel esta passando, na Páscoa, espalho pegadas de coelhinhos pela casa e faço procurarem por seus ovos. É muito divertido ver a carinha deles e entrar na linda imaginação da fantasia.
Abraços e venha me visitar.
Sherol Vinhas

Laély disse...

Rosana, eu venho perdendo um pouco o encantamento por essa data, talvez por tudo o que mostrou e escreveu no seu post. Mas ainda vejo graça nos ovinhos, pintados à mão e em delicadezas de pão de mel.
Que coisa mais lindas essas ilustrações vintage. A gente era feliz e não sabia...Saudosismo puro.

rosana sperotto disse...

Oi, Tina, e o dia esperado chegou então! Tô aquecendo pra por a mão na massa contigo à tarde (rsrs)!

Oi, Sherol! Coisa boa quando uma visita nos diz que se sente em casa no nosso espaço. Já fui lá conhecer teu blog e a impressão foi a mesma. Pelo jeito, vamos trocar muitas figurinhas. Beijo

Ô, Laély, acho que sabíamos sim como éramos felizes na nossa infância povoada de fantasias, tanto que o tempo não conseguiu levá-las de nós. Tá é difícil contagiar os pequenos com essa enxurrada de interesses comerciais. Mas, vamos em frente, companheira, porque as sementinhas de encantamento volta e meia vingam no coração das crianças e dos crescidos também. Beijo doce, minha querida